Crianças presas em apartamento

Com o perigo atual das cidades grandes, muitos pais têm optado por manter seus filhos em casa, em segurança. Julgam que “o mundo lá fora” é violento, então, por amar tanto seus filhos, os protege de experiências externas.

Porém, se por um lado nossa casa nos expõe a menos riscos, por outro nos impede de viver experiências incríveis e importantes, como o contato com a natureza.

É no contato com as plantas e animais que as crianças aprendem a se relacionar com todos os seres vivos, e é tocando na água, na terra e toda a natureza que desenvolvem diversas habilidades físicas e emocionais.

Devemos ficar atentos para que o senso de proteção não extrapole, e a gente acabe vivendo aquele amor que sufoca.

Muitas vezes desejando tanto o melhor para nossos filhos, acabamos fazendo escolhas emocionais demais, como o pensamento do “amo tanto que quero ele comigo o tempo todo” e, com isso, ironicamente acabamos optando pelo pior: uma relação de dependência.

É claro que com isso não estou indicando que se exponha as crianças a todo contato possível com o mundo “além casa”, sem avaliar os perigos. Apenas chamo a atenção para a importância de encontrarmos uma forma saudável de criá-las, que una seus interesses de proteção com a necessidade delas de viver e explorar o mundo.

Por: Helena Cardoso

Helena e Joana Cardoso
Se não bastasse Joana e Helena serem irmãs gêmeas, elas também têm a mesma profissão: são psicólogas. Juntas, criaram o Sala de Ideias, um site que tem por objetivo trazer um olhar profissional sobre assuntos cotidianos, com embasamento teórico da profissão, mas de forma leve e acessível. Também são fundadoras e trabalham no Véspera, um projeto para preparar casais para a vida a dois. Elas se inspiram trocando ideias e acreditam que, dividindo o que sabem, multiplicam o que têm.
Category:
  Sem categoria